Nós estamos disponíveis para o planejamento da sua viagem em diversos canais:

+55 11 3231-4422
gsptravel@gsptravel.com.br
Av. Brig Faria Lima, 1912 - 12º Andar - Cj 12A São Paulo/SP - Brasil - CEP: 01541-907
Redes Sociais
GO UP

Butão: O país mais feliz do mundo

separator
Scroll down
1
Dia 1 - Chegada
Desembarcando no aeroporto de Paro, no Butão, o traslado privativo te levará até a capital e maior cidade do país: Timpu. No caminho até lá, você poderá visitar o templo Tachog Lhakhang e maravilhar-se com a ponte de ferro que foi feita de correntes há cerca de 700 anos. O restante da manhã será de descanso no hotel. Mais tarde, você visitará a estátua gigante (51,5 metros) de Buddha Dordenma e conhecerá o animal nacional do Butão, o Takin – semelhante à uma fusão entre vaca e cabra. O passeio terminará com uma caminhada até o topo da colina Sangaygang, onde você terá uma incrível vista do vale de Timpu.

REINO DA FELICIDADE

No Butão o governo possui um índice chamado FIB. Em tradução livre, a sigla significa algo como “Felicidade Interna Bruta”. A ideia é demonstrar que o objetivo principal da sociedade é o bem-estar dos cidadãos (psicológico, cultural e espiritual). O país possui um comitê que trabalha medidas para garantir uma vida mais feliz aos habitantes.
2
Dia 2 - Timpu
O dia começará com um passeio até o Monastério de Tango, que atualmente funciona como uma universidade budista para 280 monges. Depois do almoço você visitará o Instituto Nacional de Zorig Chusum (escola de pintura e artesanato), o museu têxtil e a fábrica de papel local. No final da tarde você passeará pelas ruas de Timpu, onde poderá comprar o artesanato tradicional.
3
Dia 3 - De Timpu a Punakha
Depois de um café da manhã reforçado no hotel, seu próximo destino será Punakha. As horas de estrada serão compensadas com a paisagem estonteante que é protagonizada por pinheiros e cedros. Você poderá vislumbrar, de forma panorâmica, as cadeias montanhosas do Himalaia! Você fará uma parada em Dochula, onde poderá ver os 108 monumentos construídos em honra aos soldados butaneses mortos em batalha. Ainda durante o caminho até Punakha, você também visitará o Templo Chimi Lhakhang, popularmente conhecido como Divino Templo do Butão. Muitos casais visitam o lugar, pois acreditam que tem o poder da fertilidade. Chegando ao hotel em Punakha, o dia será livre para que você descanse do passeio.
4
Dia 4 - Punakha
Logo pela manhã você fará uma caminhada até o Templo Khamsum Yulley Namgyal, construído por uma das rainhas do país para proteger a nação. A vista do vale de Punakha a partir do templo é estonteante, perfeita para admirar enquanto toma café da manhã. Se quiser, poderá visitar um dos inúmeros arrozais da região antes de retornar ao hotel para o almoço. O resto do dia será livre para que você explore a culinária local no jantar.
5
Dia 5 - Punakha
No 5º dia você visitará a escola budista de Nalanda, datada do século VIII. Lá, você poderá interagir com verdadeiros monges – os alunos recebem aulas diárias de inglês. A próxima parada será no convento Sangchhen Dorji Lhuendrup Lhakhang, famoso por suas estátuas budistas. O local, por sua vez, abriga um centro de ensino superior e meditação para freiras. De volta a Punakha, você continuará a caminhada até a aldeia de Nobgang, onde nasceram quatro das rainhas do Butão. O restante do dia será livre.  
6
Dia 6 - De Punakha a Paro
Após o café da manhã você seguirá de traslado até Paro, onde chegará a tempo para o almoço. Você terá esse tempo livre para explorar a apimentada culinária local. Depois do almoço o destino será o Museu Nacional do Butão e sua fascinante coleção de arte, relíquias, pinturas religiosas e selos postais. A próxima parada será no Rinpung Dzong, um mosteiro cujo nome significa “Fortaleza sobre Joias”. Antes de retornar para sua acomodação, você visitará a casa de fazenda local. Lá você poderá ter uma ideia de como funciona o estilo de vida de um agricultor. O jantar será servido no restaurante do hotel.

CULINÁRIA BUTANESA

A comida do Butão é cheia de temperos, aromas e simbolismos. Todas as refeições do dia têm arroz, inclusive o café da manhã! Os butaneses não utilizam talheres e se alimentam apenas com o auxílio da mão direita – o costume é baseado no fato de que a mão esquerda é utilizada para higiene pessoal. Até o maior fã de comidas apimentadas deve tomar cuidado com os pratos típicos do Butão, pois o nível de pungência é bastante alto.
7
Dia 7 - Ninho do Tigre
No sétimo dia você será levado até o norte do vale de Paro, onde a caminhada até o Mosteiro de Taktsang começará. Também conhecido como Ninho do Tigre, o templo mais lendário do Butão fica situado na borda de um penhasco a mais de 600 metros de altura. Depois de ter a honra de apreciar uma das mais veneradas e sagradas vistas budistas em todo o mundo, você regressará ao hotel e terá o restante do dia livre.

DICA

TAKTSANG
A lenda diz que Guru Rinpoche (Padmasambhava) voou milagrosamente do leste do Butão montado em um tigre, para trazer ensinamentos budistas e meditar no penhasco. Foi assim que o budismo se instalou no país.
8
Dia 8 - Paro
O último dia livre em solo butanês será dedicado a explorar o lodge e as redondezas. Você poderá desfrutar do spa do hotel, fazer compras na cidade ou conhecer a Chelela Pass. Com 3.988 metros, a passagem é considerada uma das mais altas de Butão e oferece uma vista magnífica dos sagrados montes Jitchu Drake e Jomolhari. Os visitantes podem ver cascatas de rosas selvagens e flores cobrindo todo o chão da floresta.
9
Dia 9 - Despedida
Após o último café da manhã no hotel, o traslado te levará para o aeroporto onde sua jornada de retorno ao lar começará.

Butão: O país mais feliz do mundo

Entre palácios, templos e monumentos dedicados ao amor, a Índia é o lugar perfeito para celebrar o sentimento mais poderoso que existe.

9 Dias
Melhor Época: Outubro à Maio
  • Destino
  • Melhor época
    Outubro à Maio
  • Incluso no pacote
    Acomodações
    Guia Turítico
    Refeição: Almoço
    Refeição: Café da manhã
    Refeição: Jantar
    Roteiros turísticos
    Visita ao Buddha Dordenma - Conheça uma das maiores estátuas budistas do mundo